2019

Bisonte

Da calma aparente surge uma revolução, da besta surge uma carícia.

Estas figuras são toscas, cyborgs sensíveis incapazes de existir apenas. O seu tacto é sensível, o olfato apurado, a visão de lince. Todos choramos, temos medo, todos desejamos, amamos e tentamos encaixar, protegemo-nos com armaduras que nos isolam, mas caímos na armadilha dessa caixa que nos define.

Que sensibilidade contrúo hoje? Que intimidades vivo? O que pretendo mostrar de mim se sou o primeiro a não saber?

Bisonte é um ringue entre a histeria e a melancolia. Aqui a vida é uma valsa, a dança é coisa de quem quer e o tango dança-se com quantos houver. Uma pulsação persistente marca o passo, ecoam melodias daquilo que é invisível em nós. O género esbate-se e há agora lugar para uma existência mais crua, vulnerável e bela.

Direção Artística e Coreografia

Marco da Silva Ferreira

Assistência de direção artística

Pietro Romani

Interpretação

Anaísa Lopes, André Cabral, Duarte Valadares, Eríca Santos, Leo e Marco da Silva Ferreira

Direção técnica e desenho de luz

Wilma Moutinho

Desenho de som

Rui Lima e Sérgio Martins

Direção musical

Marco da Silva Ferreira, Rui Lima e Sérgio Martins

Cenografia

Fernando Ribeiro

Figurinos

João Rôla

Produção Executiva

Joana Costa Santos

Produção

Pensamento Avulso — Associação de Artes Performativas

Coprodução

Teatro Municipal do Porto (PT); São Luiz Teatro Municipal (PT); Théâtre de la Ville (FR); Charleroi Danse (BE)

Residências Artísticas

O Espaço do Tempo (PT); Teatro Municipal do Porto (PT); Centro Cultural Vila Flor (PT); Charleroi Danse (BE); Centre Chorégraphique National de Caen en Normandie; La Place de la Danse Centre de Developpement Chorégraphique National Toulouse – Occitane (FR)

Difusão

Art Happens

Apoio

Direção Geral das Artes

Agradecimentos

Companhia Instável, mala voadora

 

Marco da Silva Ferreira é apoiado por “Associate Artist Residency” do centre chorégraphique national de Caen en Normandie - director Alban RICHARD